Amazônia: Questões ambientais contemporâneas

A jaguar rests in a bush.

Luíza Veiga – Graduada em Relações Internacionais

A região amazônica tem sofrido há décadas com diversas questões ligadas à sua exploração indevida. Queimadas, desmatamento e garimpos ilegais fazem com que povos indígenas venham sofrendo diretamente estes impactos, tendo suas terras constantemente invadidas. Contudo, nos últimos anos, especificamente após a posse do atual presidente Jair Bolsonaro, várias problemáticas vêm surgindo e outras crescendo.
A diminuição nas fiscalizações, por exemplo, ocasionaram a maior onda de incêndios na região desde 2017, de acordo com o INPE; e o próprio ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, está sendo investigado por suposto envolvimento na exportação ilegal de madeira. De acordo com o jornal O Globo, o garimpo ilegal em terras indígenas cresceu mais de 300% nos últimos dois anos apenas nas terras Munduruku, entretanto, observa-se que a medida tomada pelo governo foi a criação de projetos de lei para que sejam autorizados os garimpos em algumas destas terras.
No campo das Relações Internacionais, a análise de políticas tomadas para favorecer apenas uma pequena parcela dentro de um sistema e questionar esta dominação sobre os demais é a Teoria Crítica, que possui como um dos principais nomes o autor Robert Cox. Em suas análises, o principal foco é questionar o motivo de até poucos anos atrás, a maioria das bases teóricas das R.I. avaliar apenas as ações dos Estados para compreender seu funcionamento, não levando em consideração a influência de diversos agentes como empresas transnacionais, Organizações Internacionais, etc. tampouco questionava as ações de todos.
Com isso, na obra “Social Forces, States and World Orders” (1996) Cox aponta a clara existência de uma dominação do sistema atual sobre a tomada de decisões dos Estados nos âmbitos nacional e internacional. Portanto, políticas sociais, econômicas, comerciais e ambientais estariam sujeitos ao interesse maior desse sistema para que este possa se sustentar.
Através deste viés de análise, é possível identificar que durante os últimos dois anos, as políticas adotadas pelo atual governo visam priorizar o crescimento econômico através da facilitação da exploração por parte de empresas madeireiras e garimpos dentro da região amazônica.
Porém, ao utilizar–se de meios como ocupação de terras indígenas, desmatamento ilegal, falta de fiscalização e exportação irregular da madeira, mostra a falta de estratégia e planejamento para médio e longo prazo dentro da atual gestão. Além de reduzir a biodiversidade e as populações indígenas da região, possibilita que nem o próprio governo tenha controle sobre o que é feito nas terras públicas, prejudicando assim, outros setores.
Portanto, a resistência da sociedade é indispensável para que haja denúncia da ausência do Estado na região. Organizações Não-Governamentais voltadas ao Meio Ambiente, comunidades indígenas, bem como cientistas e pesquisadores são essenciais para que o público tome conhecimento do prejuízo que tais irregularidades causam para o Brasil como um todo e cobre as autoridades que deveriam estar zelando pela Amazônia.

REFERÊNCIAS

1 COX, R. W. (1983) Gramsci, Hegemony, and International Relations: an essay in method. Approaches to World Order, Cambridge,1996.

2 [S.I]. PF aponta ‘fortes indícios’ contra Ricardo Salles em esquema de corrupção. Estadão Conteúdo: Junho/2021. Disponível em <https://exame.com/brasil/pf-aponta-fortes-indicios-contra-ricardo-salles-em-esquema-de-corrupcao/

3 [S.I]. Garimpo ilegal em terras indígenas mostra a desestruturação do Estado brasileiro. Jornal da USP: Junho/2021. Disponível em https://jornal.usp.br/atualidades/garimpo-ilegal-em-terras-indigenas-mostra-a-desestruturacao-do-estado-brasileiro/

4 CASADO, José. Desmate na Amazônia aumenta gasto na Saúde. Veja Política: Maio/2021. Disponível em https://veja.abril.com.br/blog/jose-casado/desmate-na-amazonia-aumenta-gasto-na-saude/

5 SPRING, Jake. Incêndios no Pantanal e Amazônia poderão ser piores em 2021, alertam cientistas. G1 Natureza: Maio/2021. https://g1.globo.com/natureza/noticia/2021/05/27/incendios-no-pantanal-e-amazonia-poderao-ser-piores-em-2021-alertam-cientistas.ghtml

6 TALENTO, Aguirre. MUNIZ, Marina. Salles diz à PGR que se reuniu com madeireiros após pedido do ministro Ramos. O Globo: Junho/2021. Disponível em https://oglobo.globo.com/sociedade/meio-ambiente/salles-diz-pgr-que-se-reuniu-com-madeireiros-apos-pedido-do-ministro-ramos-1-25045238

7 WIZIACK, Julio. PAMPLONA, Nicola. Governo avalia incentivar consumo de energia fora do pico para conter crise, diz Bento Albuquerque. Folha de S. Paulo: Junho/2021. Disponível em https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2021/06/governo-avalia-incentivar-consumo-de-energia-fora-do-pico-para-conter-crise-diz-bento-albuquerque.shtml

8 ZARUR, Camila. Em dois anos, garimpo aumenta em 363% a degradação da Terra Indígena Munduruku. O Globo: Maio/2021. Disponível em https://oglobo.globo.com/sociedade/um-so-planeta/em-dois-anos-garimpo-aumenta-em-363-degradacao-da-terra-indigena-munduruku-25040162

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s