Maria Bethânia Galvão – Acadêmica do 2° semestre de Relações Internacionais da UNAMA

A sociedade ocidental pós-moderna segue na superação da institucionalização do racismo, do machismo e da homofobia, a afirmação de uma sociedade diversa se expande no ideário sociedade civil global, nisso a representatividade política tem fundamental importância, para que essa ideia se perpetue e se concretize como um modelo a ser seguido.
Dessa maneira, a professora e pesquisadora de Relações Internacionais, V. Spike Peterson, por meio de seus estudos sobre a formação do nacionalismo e a sua relação com o heterossexismo (comportamento hétero e sexista), aborda que o Estado ainda segue um modelo de institucionalização hierárquica formada por homens cis, héteros e brancos, dotados de uma ideologia sexista e que a toma como referencial de comportamento ideal.
A problemática dessa questão está no desenvolvimento de hierarquias simbólicas que minimizam a voz de autores que são excluídos do processo de formação do nacionalismo, e consequentemente, do Estado, são esses: as mulheres, os povos tradicionais e a comunidade LGBT.
Nesse sentindo, a formação do parlamento da Nova Zelândia trouxe perspectivas para o desenvolvimento de um nacionalismo estatal mais diverso, considerando protagonismos presentes na sua formação social por meio da representatividade política:
Pela primeira vez uma mulher Maori ocupa a pasta das Relações Exteriores, na posição de ministra, Nanaia Mahuata. Quase metade do parlamento neozelândes é ocupado por mulheres, cerca de 57 dos 120 assentos disponíveis. A maior proporção LGBTQI+ no legislativo do mundo se encontra no parlamento da Nova Zelândia, cerca de 11% dos parlamentares se declaram membros dessa comunidade.
Isto posto, a formação do parlamento da Nova Zelândia é um exemplo de diversidade a ser seguido no mundo, oferecendo perspectivas para a superação da exclusão hierárquica, propondo oportunidades para a inclusão, e assim torna efetiva a democratização do espaço político.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
G1. 2020. Nova Zelândia elege um dos parlamentos mais diversos do mundo. Disponível em: < https://g1.globo.com/mundo/noticia/2020/11/17/nova-zelandia-elege-um-dos-parlamentos-mais-diversos-do-mundo.ghtml >
PETERSON, V. Spike. Identidades Políticas: Nacionalismo como heterossexismo. 1999.