Francesca-Di-Giovanni-e-Papa-Francisco

Maria Eduarda Diniz – Acadêmica do 5° semestre de Relações Internacionais da UNAMA

O Papa Francisco nomeou, pela primeira vez, uma mulher para um alto posto diplomático no Vaticano. Francesca Di Giovani será a primeira mulher a ser alçada para o cargo de subsecretária da Seção para as Relações com os Estados, responsável pelo setor multilateral. Di Giovani, que possui uma longa carreira jurídica, já trabalhava como oficial da Secretaria de Estado, justamente no setor Multilateral, lidando com questões como os migrantes, os refugiados, direito internacional humanitário, a situação da mulher, entre outros.

A Secretaria de Estado é dominada por forças masculinas e é considerado o órgão responsável por cuidar da parte diplomática e administrativa do Vaticano. Agora, como subsecretária, ela coordenará as ações desse setor, junto ao outro subsecretário, o Monsenhor Miroslaw Wachowski, responsável pela diplomacia bilateral do país. Com essa nomeação, ela passa a responder diretamente ao cardeal Pietro Parollin, secretário de Estado; acima dele estão apenas o Arcebispo Paul Richard Gallagher e o próprio Papa Francisco. Assim, ela passa a ser uma das pessoas mais importantes, e a mulher mais importante do Estado do Vaticano.

A decisão do Santo Padre é inovadora, mas não surpreendente. Em vários momentos, o Papa Francisco já demonstrou o desejo de promover mais espaço às mulheres dentro da Igreja Católica, discutindo essa questão ora em suas homilias, ora em momentos importantes da Igreja, como o Sínodo da Amazônia, ocorrido em 2019. Um grande exemplo foi a homilia de ano novo, em que ele aponta que “a mulher é doadora e mediadora de paz e deve ser associada plenamente aos processos decisórios”. Essa é uma das reformas que ele busca alcançar no Estado do Vaticano e na Igreja Católica e que, ele acredita, podem colaborar para tornar a Igreja um maior mediador de diálogo no mundo.

A teoria construtivista Wendtiana explica que as identidades, tanto individuais quanto dos Estados, são socialmente construídas, porque a relação com o próximo é que forma a percepção de si mesmo. Ou seja, as identidades são adquiridas pelo processo de relacionamento entre os Estados. Para o construtivismo de Wendt, a identidade dos Estados forma, basicamente, quatro interesses, sendo que um deles se aplica ao objetivo do Papa com as mudanças dentro do Estado do Vaticano: o interesse de desenvolvimento no sentido de promover uma vida melhor, na qual o Estado é o provedor desse desejo coletivo.

O Vaticano é um Estado soberano cravado em Roma, o qual tem relações com mais de 180 países. Ao ser alçada para o cargo de subsecretaria do Estado para lidar com questões multulaterais, Francesca Di Giovani conduzirá a uma mudança na identidade do país, promovendo o objetivo de conduzir a uma vida melhor, de Francisco. A nomeação de Francesca faz parte das mudanças que o Santo Padre tenta implementar desde que senta na cadeira de São Pedro, assim como a tentativa de reconsiderar o celibato ao nomear novos padres ou a possibilidade de indígenas convertidos se ordenarem. Enquanto não consegue promover essas mudanças na Igreja, como um todo, ele começa a promover a mudança na identidade do Estado soberano do Vaticano, pois o outro passará a ver esse Estado de outra maneira. Com isso, a imagem do Vaticano se converte numa imagem mais progressista, numa imagem de mudança e renovação.

Considerando que o Papa continuamente pede a reforma do sistema multilateral, para que ele seja um ambiente de maior diálogo e paz, é compreensível que ele tenha nomeado alguém com experiência em assuntos multilaterais e que represente, para ele, alguém ligado a mediação de paz. Assim, como a identidade é socialmente construída, as mudanças que começam a ser alcançadas dentro do Vaticano, como a nomeação da subsecretária, podem, com o tempo, refletir-se na Igreja Católica, em seu todo, promovendo, assim, o interesse de paz que o Santo Padre sempre almeja.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Papa Francisco nomeia primeira mulher para cargo de alto escalão no Vaticano. Disponível em: <https://www.cartacapital.com.br/mundo/papa-francisco-nomeia-primeira-mulher-para-cargo-de-alto-escalao-no-vaticano/&gt;. Acessado em 17 de janeiro de 2020.

Pope appoints woman under-secretary in Vatican Secretariat of State. Disponível em: < https://www.vaticannews.va/en/vatican-city/news/2020-01/pope-appoints-woman-undersecretary-in-secretariat-of-state.html&gt;. Acessado em 17 de janeiro de 2020.

Vatican appoints first woman to senior role in Church. Disponível em:
<https://www.bbc.com/news/world-europe-51124478&gt;. Acessado em 17 de janeiro de 2020.

SARFATI, Gilberto. Teoria das Relações Internacionais. São Paulo: Editora Saraiva, 2005.