Aniversário de Belém: 404 anos

Aniversário-de-Belém-1-.jpg

ANIVERSÁRIO DE BELÉM – Giovanna Lima – Acadêmica do 5º semestre de Relações Internacionais da UNAMA

Joseph Nye, autor neoliberal das Relações Internacinais, criou o conceito de Soft Power para explicar formas menos violentas de poder, que supere apenas a guerra, o conflito e coerção, os quais conhecidos como Hard Power, mas que englobe também aspectos ideológicos, sociais e culturais como a diplomacia, a ciência, a religião, a economia, a cultura, a arte, entre outros.

Assim, percebe-se que por mais que a guerra e o poder bélico dos estados sejam recursos de poder inquestionáveis dentro do sistema internacional, o soft power, também devem ser levados em consideração (ALVARENGA, 2015). 

Nesse contexto, nota-se que após a conquista de São Luís do Maranhão, em novembro de 1615, o Capitão-mor Francisco Caldeira de Castelo Branco, encarregado pela coroa portuguesa de conquistar, ocupar, explorar e proteger a foz do rio Amazonas contra franceses, ingleses e holandesas, atingiu a baía de Guajará em 12 de janeiro de 1616 onde foi levantado antigo Forte do Presépio, atualmente Forte do Castelo construído para impedir a entrada de invasores na Amazônia. Assim, dia 12 de janeiro marca o aniversário da capital paraense. 

Esse ano, Belém comemora seu 404° aniversário com muitos encantos e desafios. Durante sua história, a cidade atingiu o auge da sua economia no período da borracha, que resultou em uma forte influência europeia, principalmente francesa, que pode ser observado na arquitetura de prédios histórico, teatros e praças.

A Belle Époque se constituiu como um processo de reurbanização da cidade possibilitada pelas riquezas advindas da extração do látex. Belém consolidou um modelo de sociedade avançada aos moldes do que representava a cidade de Paris que na época era a referência de urbanização do final do século XIX e início do século XX (BARRROS, SERRA; 2017), ou seja, pautada nos moldes europeus de sociedade que gerou intensas transformações nas artes, na cultura e na urbanização da cidade (FERRENTI; SOUZA, 2013).

Assim, nota-se que nessa época a Europa era o modelo de avanço e desevolvimento e para manter seu status quo fazia questão de atrair tanto países quanto conseguisse a comungarem com seus mesmos valores e idéias redirecionando comportamento dos demais. Desse modo, a difusão da cultura europeia através do uso do soft power em Belém foi muito marcante na história da capital desde seu surgimento em 1616. 

BARROS, Magaly Caldas; SERRA, Hugo Hage. A Belém da Belle Époque e os roteiros geo-turísticos como instrumentos de educação patrimonial, São Paulo. Formação, 2017. 

Belém comemora 403 anos neste sábado (12). Disponível em: http://www.turismo.gov.br. Acesso em: 07 jan 2019

FERRENTI, Tatiana Rodrigues; SOUZA, Cellayne Patrícia Brito de. Arte e Cultura na Belém da Belle Époque. Revista Trias, Ano III – nº 6 – janeiro a julho de 2013

MARTINELLI, Caio Barbosa. O Jogo Tridimensional: o Hard Power, o Soft Power e a Interdependência Complexa, segundo Joseph Nye. Conjuntura Global, vol. 5 n. 1, jan./abr., 2016, p. 65-80.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s