OIT-1.jpg

Giovanna Lima – Acadêmica do 4º Semestre de Relações Internacionais da UNAMA.

Em 2019 comemoramos os 100 anos da Organização Internacional do Trabalho (OIT), entidade fundada em 1919 como parte do Tratado de Versalhes, o documento que pôs fim à 1ª Guerra Mundial. Orientado pela preservação da justiça social nas relações capital-trabalho, a OIT foi criada para discutir questões como jornada de trabalho, desemprego, inclusão no mercado de trabalho, dentre outros.

Neste contexto, a OIT estabeleceu o Trabalho Decente como o principal objetivo de suas ações e políticas que engloba a promoção de oportunidades para mulheres e homens, junto a um trabalho produtivo, bem remunerado e exercido em condições de liberdade, equidade, segurança e dignidade. 

O Trabalho Decente é o eixo central para onde convergem os quatro objetivos estratégicos da OIT: respeito às normas internacionais do trabalho, em especial aos princípios e direitos fundamentais do trabalho; promoção do emprego de qualidade; extensão da proteção social e fortalecimento do diálogo social (NAÇÕES UNIDAS, 2019).

Robert Cox, teórico crítico das relações internacionais, incorporou-se às Nações Unidas em 1948, fazendo carreira junto à organização internacional do trabalho onde permaneceu até 1972. Durante quase todo esse período, Cox ocupou a posição de diretor do Instituto Internacional de Estudos Laborais, braço de pesquisas do organismo multilateral (LEYSENS, 2008, p.12) no qual produziu diversas obras, todas focadas em resolver problemas relevantes ao bom funcionamento de organizações internacionais, especialmente da OIT.

A partir do ponto de vista da Teoria Crítica, a emergência das organizações internacionais consiste em um elemento para a compreensão de um conceito polissêmico de hegemonia e, ao mesmo tempo, representa um espaço institucional para a legitimação de uma ordem hegemônica estabelecida.  

Com base nas ideias de Gramsci, a teoria de Cox vai além da estrutura  estadocêntrica neorrealista. O autor identifica a criação de uma solidariedade em nível comunitário, a democracia participativa, métodos não violentos de resolução de conflitos, o pluralismo e o multilateralismo como elementos-chave de sua agenda transformacional (Moolakkattu, 2016).

Assim, a OIT é um importante organismo internacional que se dedica a garantir uma vida digna para seus trabalhadores, visando a erradicação da pobreza e desigualdade social, favorecendo o desenvolvimento da democracia  no qual  representantes do governo, das organizações de empregadores e das organizações de trabalhadores participam em situação de igualdade por meio de um multilateralismo como propunha Robert Cox. 

Referências:

LEYSENS, Anthony. The Critical Theory of Robert W. Cox: fugitive or guru? Houndmills: Palgrave MacMillan, 2008.

MOOLAKKATTU; John S. Robert W. Cox and Critical Theory of International Relation. Sage, 2009

Conheça a OIT. Disponível em <https://www.ilo.org/brasilia/conheca-a-oit/lang–pt/index.htm>. Acesso em 3 out 2019