Pesquisando R.I. – Karine França

IMG_0173

No Pesquisando em R.I. de hoje apresentamos Karine França, acadêmica do 8° semestre de Relações Internacionais da UNAMA, e sua pesquisa sobre as estratégias de comunicação adotadas pela Organização das Nações Unidas para reformular sua identidade diante da sociedade civil global nas primeiras décadas do século 21. Após sua criação, a ONU foi alvo das mais variadas críticas, porém estas não abalaram seu desenvolvimento. Contudo, a Organização sofreu grande perda de credibilidade na virada do século, principalmente pelos atentados de 11 de Setembro de 2001 e pela invasão do Iraque em 2003 e é a partir desse ponto que inicia a análise da autora.

Em sua pesquisa, a discente busca observar as mudanças nos meio de abordagem da organização, em sua adaptação ao cenário que se monta diferente do de sua constituição, a forma como a mesma se coloca mais próxima e acessível à sociedade civil global, por meio de facilitadores, como os novos meios de comunicação, tais quais redes sociais e afins, de forma mais didática. Um exemplo apresentado pela autora foi a maior facilidade de acesso a pesquisas públicas como a My World, que por meio da votação da própria sociedade civil global gera uma adaptação à pauta a ser debatida pelas lideranças mundiais, e campanhas dos mais variados tipos como a He for She, que busca unir homens e mulheres na busca pela igualdade de gênero.

Para tal, a autora busca seu embasamento teórico na teoria construtivista, buscando apresentar principalmente as características e premissas do construtivismo de Alexander Wendt, no qual a política internacional é fruto de uma construção social; as estruturas são definidas principalmente por ideias compartilhadas, não apenas por forças materiais; e as identidades  e interesses dos atores são construídas por tais ideias compartilhadas. Segundo a autora, essas premissas confirmam a importância dessas ideias e normas para a construção da realidade e de seus agentes, assim como a de suas identidades e interesses através de um processo de interação entre agente e estrutura. É importante acrescentar a visão construtivista de mudança de práticas em organizações, consideradas imutáveis na política mundial.

A autora afirma que seu tema é relevante no que tange à tentativa de  trazer um olhar diferente sobre a ONU, ao invés de analisar apenas sua eficácia, como muito autores da área, observar a mudança da organização, suas estratégias para lidar com as novas dinâmicas globais, a notória importância que tal adaptação tem sobre a construção de uma nova identidade e a retomada da credibilidade partindo da opinião pública da sociedade civil global.

 

Por Cássio Rodrigues.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s