IMG-20190905-WA0009

No Pesquisando em R.I. dessa semana nós vamos falar sobre o trabalho de conclusão de curso de Geórgia Amarante, do 8° semestre de Relações Internacionais da UNAMA, sobre as mulheres indígenas no Brasil e a construção de paz (Peace building). O estudo tem seu foco na Pauta Nacional das Mulheres Indígenas, um documento com a assinatura de mulheres mais de 100 povos que tem por objetivo pôr em discussão as necessidades sofridas pelas mesmas e os tipos de violência mais frequentes.

A autora busca mostrar como esforços desse tipo contribuem para a criação de paz por meio de um exercer de política de “baixo para cima” e para tal, a acadêmica optou por usar a teoria do sociólogo norueguês Johan Vincent Galtung, pioneiro nos estudos da paz, fazendo também um debate teórico com o feminismo comunitário de Julieta Paredes, feminista boliviana de origem indígena.

Um grande enfoque de sua pesquisa está na violência sofrida, cultural e/ou estrutural, e relatada na Pauta, empregando conceitos como o Triângulo da Violência, o qual foi ampliado por Galtung, a repercussão de sua denúncia e as medidas tomadas posteriormente a elas, se as demandas apresentadas são de fato ouvidas e atendidas. Faz-se notória também a análise da participação das mulheres indígenas na construção de um Local Peace Building, por meio de participação na demanda de políticas que venham a resguardar os direitos de suas iguais, contribuindo também para seu maior empoderamento. Mesmo que não seja uma iniciativa totalmente originária várias das comunidades, mas partindo também da ONU Mulheres, o esforço em conjunto das demandantes é o que mais estaria levando o projeto adiante. 

Por Cássio Rodrigues.