cartazestrump.jpg

Brenda Thalita – Acadêmica do 3º Semestre de Relações Internacionais da UNAMA

As reações contra a visita do presidente dos Estados Unidos foram percebidas desde o final do mês de abril, mês que fora anunciado a visita dele ao Reino Unido. As manifestações contra e a favor do magnata norte-americano, de fato aconteceram no dia seguinte a sua chegada, elas transcorreram com mais fervor após a declaração dada, via conta pessoal do presidente no twitter, ao prefeito de Londres, a qual foi chamado de “perdedor irrecuperável”.

Tal reação do presidente Trump se dá pelo artigo a qual o prefeito londrino Sadiq Khan escreveu para o The Guardian, condenando o que chamou de “The deliberate use of xenophobia, racism and ‘otherness’ as an electoral tactic. Introducing a travel ban to a number of predominately Muslim countries. Lying deliberately and repeatedly to the public”.  

As declarações rapidamente reverberaram entre os manifestantes, pois demonstra a influência de uma pessoa em posição de domínio, no caso o presidente, nos debates de certos assuntos assim como na implementação de políticas polêmicas. Tal como as políticas adotadas para separar os filhos dos imigrantes clandestinos de seus pais, entretanto ao decorrer das manifestações populares o Trump foi forçado a recuar nesta política.

Para analisarmos o motivo a qual as minorias são oprimidas, no caso trataremos como silenciamento e o que leva aos mesmos a buscarem a emancipação em forma de manifestações, serão utilizadas as premissas do autor Jürgen Habermas. Segundo essas ideias, o “silenciamento”, conceituado como: afirmação de certas verdades, definições e certezas são outra forma de dominação, pois os pensamentos contrários são silenciados. Ou seja, as práticas de subjugação exercida contra a população minoritária por pessoas que seguem uma verdade postam com tal constroem pessoas acríticas, que propicia a criação de espaços de silenciamento de quem não consegue ir contra o mainstream(SILVA, Marco Antonio de Meneses, 2005).

As populações, neste caso, são as pessoas que sofrem diretamente com as declarações e políticas aplicadas pela parcela dominante, por exemplo, as afirmações de Trump sobre o tema da mudança climática, pois ele não acredita nesta abordagem, sendo que ele afirmou isso após a divulgação de um relatório feito pela Casa Branca. Essa atitude, de certa forma cria um padrão de verdade, as pessoas que sofrem diretamente com essas afirmações acabam tendo a sua verdade silenciada.

De acordo com o pensamento habermasiano, para alcançar a liberdade do “silenciamento”, a solução seria dar vez e voz aqueles que foram silenciados pela racionalidade dominante. Ou seja, as manifestações ocorridas em Londres, em resposta às falas de Trump, reforçam o pensamento de que manifestações são espaços de fala para essas minorias, pois esses lugares podem disseminar os seus desejos, necessidades que foram silenciados.

Referências:

SILVA, Marco Antonio de Meneses. “Teoria Crítica em Relações Internacionais”. Contexto Internacional. Rio de Janeiro: PUC, Vol. 27, n° 02, pp. 249-282, 2005.

Trump é alvo de protestos em Londres no 2º dia de visita ao Reino Unido. Jornal Nacional, 04 de jun. de 2019. Disponível em:

https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2019/06/04/trump-e-alvo-de-protestos-em-londre s-no-2o-dia-de-visita-ao-reino-unido.ghtml. Acesso em: 11 de jun. de 2019.

Trump visita reino unido em junho. População já marcou manifestação. Diário de Notícia. 23 de abril de 2019. Disponível em: https://www.dn.pt/mundo/interior/trump-visita-reino-unido-em-junho-populacao-ja-marcou-manifestacao-10824561.html. Acesso em 11 de jun. de 2019.

DE MIGUEL Rafa. Trump insulta prefeito de Londres no início de sua visita ao Reino Unido.

El País, Londres, 03 de jun. de 2019. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2019/06/03/internacional/1559554963_655383.html Acesso em: 12 de jun. de 2019.

KHAN Sadiq. It’s un-British to roll out the red carpet for Donald Trump. ​The Guardian​, 01 de jun. de 2019. Disponível em: https://www.theguardian.com/us-news/2019/jun/01/donald-trump-state-visit-red-carpet-unbrit ish​ . Acesso em: 12 de jun. de 2019.