12 anos.jpg

Anna Victhoria Oliveira – Acadêmica do 3º semestre de Relações Internacionais da UNAMA

12 Anos de Escravidão, longa histórico britânico-estadunidense, é uma adaptação da autobiografia best-seller no século XIX de Solomon Northup, tal qual retrata o terror vivido pelo violinista negro diante do período escravagista americano. Apresentando informações explícitas, como as descritas em páginas e vistas em cenas da película, para o público foi essencial em alertar sobre as características austeras circundando noções preconceituosas, cruéis e afins de pensamento. Entretanto, embora os dizeres tenham afetado pessoas, outras não se encontram cientes sequer de sua existência. Isso não motiva o comportamento racista e atroz, porém, a conscientização do fato de serem atitudes errôneas —subentendida até nas Emendas 14ª e 15ª da Constituição dos Estados Unidos e na Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, Art. 3°, que afirma: “Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: […] promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”, — deveria ser feita o quanto antes. Pode-se ler no site Guia do Estudante: “Em termos de preconceitos, esta é uma obra sobre algo que, quase 200 anos depois, segue lamentavelmente atual.”

Nascido em 10 de julho de 1808 em Minerva, Nova Iorque, Solomon Northup era filho de um escravo liberto e uma mulher livre de cor, sendo ela então, no contexto dos acontecimentos, uma descendente de africano e europeu, por isso vivia sem ser submetida às condições que a maioria dos negros sofriam com sua introdução no cotidiano. Mintus, o pai do homem, havia obtido liberdade através da morte de seu senhor, ambos os acontecimentos permitindo a liberdade dos dois filhos.

Northup relacionou-se com Anne Hampton, uma moça de descendência misturada como sua mãe e tiveram três filhos após o casamento em 1829, Elizabeth, Margaret e Alonzo. Deleitaram-se com a posse de uma fazenda em 1832, além da reputação do marido de ser um dos violonistas com maior excelência. Ele acabou sendo vendido como escravo, sem conseguir provar sua liberdade, precisou largar a paixão cuja vida inteira foi dedicada sendo submetido às atrocidades da escravidão, sem demonstrar quem era, para sobreviver.

O escritor afro-americano da autobiografia trabalhava e vivia com a sua família, até ser tomado de refém em sequestro e vendido como escravo em 1841, o que foi detalhado nas obras em questão. Dizendo que tinham afiliação com um circo e a desenvoltura da lábia, dois homens convenceram Solomon, a ir com eles para Washington, onde foi drogado, capturado e agredido até um comprador aparecer. A condição de vida não foi melhorada, como qualquer telespectador e leitor poderia imaginar, Northup precisou fazer inúmeras tarefas quando em cativeiro e na vida existiam muitos traços do desejo de sobrevivência e medo de ser mandado para ainda mais longe. Aqueles que provocaram todos os acontecimentos com Solomon não receberam punição.

Foi no primeiro ano de liberdade após mais de uma década que ocorreu a produção de Twelve Years a Slave, título original. Ele deu várias palestras sobre suas experiências para reforçar a repulsa por escravidão e preconceitos, além de ajudar os quais haviam sido libertados. Não há registros sobre o lugar onde ele morreu e o ano, embora haja crença de que tenha sido por volta de 1863 e 1875.

Referências:

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: < http://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/con1988_17.03.2015/art_3_.asp>. Acesso em: maio de 2019.

COLE, Rachel; FISKE, David; SELIGMAN, Rachel; BROWN, Clifford. Solomon Northup: American farmer and writer. Disponível em: <https://www.britannica.com/biography/Solomon-Northup&gt;. Acesso em: maio de 2019.

SPAGNA, Julia Di. “12 Anos de Escravidão: saiba como utilizar o filme no vestibular. Disponível em: <https://guiadoestudante.abril.com.br/estudo/12-anos-de-escravidao-saiba-como-utilizar-o-filme-no-vestibular/&gt;.  Acesso em: Maio de 2019.

Saga Literária. [RESENHA #25] Doze anos de escravidão – Solomon Northup. Disponível em: <https://www.sagaliteraria.com.br/2016/03/resenha-doze-anos-de-escravidao.html&gt;. Acesso em: Maio de 2019.