eleição india.jpg

Joyce Gabrielle Farias de Miranda –  Acadêmica do 5º Semestre de Relações Internacionais na UNAMA.

            No dia 11 de abril, iniciou a primeira a etapa para eleição geral para o primeiro-ministro da Índia, a maior eleição do mundo, pelo critério de sete etapas eleitorais e quantidade de pessoas. Os principais concorrentes dessa disputa está o atual primeiro-ministro da Índia Narendra Modi membro do Partido Bharatiya Janata Party (Partido Popular Indiano) no seu governo ocorreu um o alto aumento de desemprego, uma baixa valorização da agricultura e consequentemente afetando na economia. Apesar disso, por se de cunho Hindu-Nacionalista e as recentes tensões com o Parquistão, ele se mantém como sendo o favorito nas eleições. Enquanto que a oposição Rahul Gandhi, o presidente do Partido do Congresso Nacional Indiano, membro de uma das dinastias mais influentes do país Nehru-Gandhi, está começando a apresentar indícios de mudança na Índia, por meio de um programa para a redução do Índice de Pobreza no país e por partido Heteróclito.

            O cientista político das relações internacionais sua vertente neorrealista- realismo estrutural de Kenneth Waltz, apresenta uma grande importância na análise científica da teoria da política internacional, aonde se discute  três objetivos centrais: uma analise das teorias políticas mundiais, os discurso sobre um ação planejada, solucionar as problemáticas passadas e a aplicar a teoria. O Waltz, contribuiu para uma análise da origem das guerras prevendo assim formas sistêmicas da repressão internacionais e domésticas dos Estados, numa visão sob a natureza humana. Então, o discurso político ideológico na Índia prevalece por questões domésticas do Estado, já que tem um apego pelo o território da caxemira.

            A questão da Caxemira é uma forte representatividade de estruturação política para os indianos, devido a qual o grande atrito com os paquistões pela região é muito presente na sociedade indiana e acaba ocorrendo um forte nacionalismo hindu, e por conta desse fator a prevalência do poder político influencia na tomada de decisão na hora da votação.

            No período de preparação eleitoral, os critérios de avaliação parlamentar dos indianos estão voltadas por questões políticas ideológicas ignorando totalmente o ator econômico do país, na qual o primeiro-ministro não alavancou em sua trajetória política. Porém, as questões de tensões conflitais entre a Paquestão e a Índia, tem a necessidade de continuar com o mesmo governo para não perde a região da caxemira e a mudança política, pode ser preocupante para os indianos. Então, a possibilidade da continuação do mesmo governo, pode ser levado em consideração da representatividade da maioria população hindu indiana.

Referências:

 SELIS, Lara Martim Rodrigues. Um estudo sobre a teoria neorrealista de Kenneth Waltz. Brasília. 2011.

Maior do mundo, eleição geral na Índia ganha data: 11 de abril. Disponível em:https://exame.abril.com.br/mundo/maior-do-mundo-eleicao-geral-na-india-ganha-data-11-de-abril/

Índia tem maior eleição do mundo em meio a temor de fake news. Disponível em:https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2019/04/india-tem-maior-eleicao-do-mundo-em-meio-a-temor-de-fake-news.shtml

Eleição na índia 2019: A próxima superpotência industrial?. Disponível em:https://www.bbc.com/news/world-asia-india-46386669

Conflito na Caxemira: por que Índia e Paquistão disputam a região que vive nova escalada de tensão. Disponível em:https://www.bbc.com/portuguese/internacional-47386170